Brittany Murphy: a misteriosa morte em Hollywood

Compartilhe

Em 2009, a morte da jovem atriz Brittany Murphy chocava Hollywood. A estrela, conhecida por seus papéis em “As Patricinhas de Beverly Hills” (1995), “8 Mile – Rua das ilusões” (2002) e “Sin City – A Cidade do Pecado” (2005), faleceu sob circunstâncias misteriosas em sua própria casa, aos 32 anos.

Os registros oficiais apontam que Brittany teria morrido por pneumonia, anemia e uso excessivo de medicamentos controlados. Mas o trágico caso ainda é motivo de muitas especulações e teorias da conspiração. Nesta matéria, vamos relembrar o que aconteceu…

Foto: Divulgação

Vida e carreira de Brittany Murphy

Brittany Anne Bertolotti nasceu no dia 10 de dezembro de 1977, em Atlanta, Geórgia, nos Estados Unidos. Filha de Sharon Murphy e Angelo Bertolotti, seus pais se separaram quando ela tinha apenas dois anos de idade.

Logo após o fim do casamento, Brittany e a mãe se mudaram para Edison, em Nova Jérsei. Desde cedo, a menina já apresentava um gosto pela atuação e, por isso, logo foi matriculada em uma escola de dança e teatro da cidade.

Assim, Brittany Murphy iniciou sua carreira ainda cedo. Aos 9 anos de idade, a atriz já estrelava na peça “Les Misérables”. Pouco tempo depois, já tinha seu próprio agente particular que cuidava de sua carreira. Nesta época, ela começou a fazer audições para comerciais e conseguiu alguns pequenos papéis.

Percebendo o talento da filha, a mãe, Sharon, decidiu se mudar para Los Angeles para investir na carreira da atriz. Foi aí que Brittany conseguiu a sua primeira chance como protagonista, no seriado Drexell’s Class.

Mas a carreira de Brittany Murphy decolou mesmo quando ela atuou no filme “As Patricinhas de Beverly Hills”, de 1995. Na época, Brittany tinha apenas 18 anos. A partir daí, ela foi conquistando pouco a pouco o seu espaço em Hollywood.

Brittany (ao meio) em “As Patricinhas de Beverly Hills”. Foto: Divulgação

Entre os filmes aclamados na sua carreira estão: “Garota, Interrompida” (1999), “8 Mile – Rua das ilusões” (2002), “Grande Menina, Pequena Mulher” (2003), “Recém-Casados” (2003), “Sin City – A Cidade do Pecado” (2005) e “Happy Feet” (2006).

Vale mencionar, a título de curiosidade, que, enquanto Brittany gravava “Recém-Casados”, ela engatou um breve romance com Ashton Kutcher – com quem protagonizou o filme.

Boatos

Como um dos talentos promissores dos anos 2000, Brittany Murphy também não escapou de boatos e comentários maldosos. Em 2005, começaram a surgir uns rumores de que ela estaria usando drogas, e isso supostamente seria o motivo para a sua repentina perda de peso. Enquanto estava viva, Brittany sempre negou essas informações.

Morte misteriosa

Em maio de 2007, Brittany Murphy se casou com o roteirista, diretor e produtor britânico Simon Monjack. Ela, o marido e a mãe moravam juntos em uma residência em Los Angeles.

Simon Monjack e Brittany Murphy em desfile da marca Diesel, em 2008 / Foto: Getty Images

Dois anos depois, em dezembro de 2009, começaram a surgir alguns boatos de que Brittany teria sido demitida do filme que estava participando, “The Caller”. Nessa época, ela também reclamava que estava muito magra e preocupava a sua família com dependências de remédio. Mas o estopim veio na manhã do dia 20 de dezembro.

Às oito horas da manhã daquele dia, o Departamento de Emergência da cidade recebeu uma ligação da mãe da atriz, Sharon. De acordo com ela, Brittany Murphy estava desacordada no chuveiro e havia passado o dia no quarto, fazendo algumas viagens ao banheiro para vomitar.

Ao chegarem na casa, os bombeiros tentaram reanimar a jovem com massagem cardíaca. Sem sucesso… Brittany foi levada ao hospital, onde foi submetida a mais tentativas de reanimação. Mas também não funcionou. Ela foi declarada morta às 10h04, após sofrer uma parada cardiorrespiratória.

A autópsia apontou um acidente, causado por pneumonia somada a uma anemia por deficiência de ferro. Sharon descartou qualquer relação da morte da filha com uma overdose de remédios. Mesmo assim, mais de 10 medicamentos foram encontrados no organismo da atriz.

Em 23 de maio de 2010, cinco meses após a morte de Brittany, Simon Monjack, o viúvo, foi encontrado morto na casa sob as mesmas circunstâncias. O motivo também foi atribuído a pneumonia aguda e anemia profunda. Isso foi o suficiente para a criação de diversas teorias da conspiração.

Contradições

Foto: Reprodução

Mãe de Brittany

Na época, o Departamento de Saúde do Condado de Los Angeles considerou que algum mofo tóxico presente na casa pudesse ser o responsável pelos óbitos. No entanto, a possibilidade foi rejeitada por um dos legistas, Ed Winter, que afirmou que “não havia nenhum indicador” que o fizesse chegar a essa conclusão.

Sharon, em primeiro momento, teria corroborado com a fala e dito que essa hipótese era um “absurdo”. Ela também informou que o Departamento de Saúde nunca solicitou uma inspeção de mofo na casa. Mas, dois anos depois, a mulher voltou atrás e disse que aquele poderia, sim, ser o motivo das mortes.

Pai de Brittany

Em novembro de 2013, o caso ganhou novos direcionamentos e se tornou ainda mais enigmático. É que, desconfiado, o pai de Brittany conseguiu solicitar amostras do cabelo da filha ao Tribunal Superior da Califórnia e contratou um laudo laboratorial particular para fazer uma análise investigativa.

O resultado mostrou que o corpo da atriz tinha níveis muito acima do normal para dez metais pesados — incluindo antimônio e bário. O mesmo aconteceu com uma análise do material genético de Monjack. Isso poderia supor que os dois foram envenenados.

Antes de morrer, em 2019, Angelo dizia que sempre acreditou que sua ex-esposa estava envolvida na morte da filha e do genro.

Irmão de Brittany

Tony Bertolotti, meio-irmão da atriz, também acredita que Brittany Murphy foi assassinada. Em entrevista ao portal Daily Mail, no aniversário de dez anos da morte de Brittany, Tony afirmou:

“Eu não acredito que Brittany e Monjack eram marido e esposa. Acredito que Monjack estava com Sharon. Eles estavam dividindo uma cama quando Brittany morreu. Eu ouvi que Monjack e Brittany estavam em um casamento de fachada e ele estava tentando ficar nos Estados Unidos”.

Diante das acusações, a mãe da artista se disse indignada. Chamando o episódio de “loucura”, Sharon afirmou que o pai de sua filha estaria usando o nome dela para ganhar atenção na mídia. Ela também alegou que ele era ausente.

Documentário

Em 2020, um documentário sobre a morte da artista foi produzido pelo HBO Max: “Brittany Murphy: An Id Mystey” (“Brittany Murphy: Uma Identidade Misteriosa”, em tradução livre). Nele, o patologista Cyril Wecht – famoso por trabalhar em casos como o do presidente norte-americano John F. Kennedy e do cantor Elvis Presley – disse que a morte de Brittany ainda não foi esclarecida.

Enquanto os registros oficiais do óbito atribuem o ocorrido à pneumonia, anemia e uso excessivo de medicamentos controlados, Wecht questiona essa versão.

“O que chama atenção para mim é o fato de ser uma jovem mulher de 32 anos… Como ela pode ter chegado a um estado tão intenso de pneumonia e tamanha deficiência de ferro? Por que ela não recebeu os devidos tratamentos médicos? Isso tudo é intrigante para mim”, afirma o médico em seu depoimento.

“Ela tinha todos os recursos financeiros possíveis para ir a um médico e estava fazendo uso de medicamentos muito pesados. É algo que me deixa perplexo”, continuou ele.

O profissional ainda disse que os mais de 10 medicamentos encontrados no organismo da atriz dão indícios de que ela possa ter sido envenenada. “Não é possível descartar nenhuma possibilidade, é preciso responder algumas perguntas que parecem não terem sido realmente respondidas”, disse Wecht.

Fonte: Aventuras na História e Revista Monet

E aí? Agora conta pra gente: você já conhecia esse caso? O que achou sobre tudo isso?

Comentários
Posts Relacionados