Dália Negra: o assassinato que chocou Hollywood

Compartilhe

Se você é fã de crimes não solucionados, certamente deve conhecer o caso Dália Negra. Considerado um dos maiores crimes da história de Los Angeles, o assassinato brutal da bela Elizabeth Short, que tinha apenas 23 anos, permanece sem respostas até o dia de hoje.

Elizabeth Short, a famosa Dália Negra. Foto: Reprodução

História de vida

Infância

Elizabeth Short nasceu em 29 julho de 1924 em Boston, , Massachusetts, nos Estados Unidos. O pai de Elizabeth era trabalhador manual, enquanto sua mãe era dona de casa. Em 1929, durante a Grande Depressão, o pai de Elizabeth se mudou para Los Angeles, deixando para trás a esposa e as cinco filhas.

A mãe de Elizabeth, Phoebe, se viu obrigada a cuidar das meninas sozinha. Por isso, teve vários empregos ao longo da vida para sustentar as cinco filhas, todas crianças na época. Porém, a maior parte da renda da família vinha de programas governamentais. O pai das meninas tentou retornar para a casa uma vez, mas teve o pedido de desculpas negado por Phoebe.

Elizabeth era uma menina de pele extremamente branca, olhos verdes e cabelos bem escuros. Ela era uma menina criativa, falante e muito extrovertida. A maior paixão de Elizabeth era o Cinema – vale lembrar que a Indústria Cinematográfica de Hollywood se popularizou drasticamente nos Estados Unidos na época. Por isso, seu maior sonho era tornar-se uma atriz famosa.

Adolescência

Ainda muito jovem, Elizabeth começou a fazer aulas de teatro, para aprimorar suas habilidades de atuação e se mudar para Los Angeles. Depois que soube dos planos da filha, o pai de Elizabeth entrou em contato e a convidou para morar com ele.

A menina não pensou duas vezes e seguiu em direção à cidade dos anjos para realizar o sonho de atuar em uma grande produção. A casa do pai de Elizabeth não foi tão acolhedora quanto ela pensava que seria: com o tempo, ambos chegaram à conclusão de que seria melhor ela morar com uma amiga, e assim ela fez.

Elizabeth e amiga, meados de 1945. Foto: Reprodução

Em 1943, quando tinha 19 anos, Elizabeth foi presa por estar bebendo com amigos – o que era ilegal, já que ela era menor de idade. Com isso, ela foi para a casa da mãe em Boston, mas depois de 2 meses retornou a Los Angeles, desta vez, para morar em Hollywood.

Elizabeth teve vários namorados durante sua juventude. Alguns deles, inclusive, eram homens casados – assim como Robert Red Manley, a última pessoa a ver Elizabeth com vida.

Dália Negra: o crime

No dia 9 de janeiro de 1947, Robert Red Manley deixou sua namorada, Elizabeth Short, na porta do hotel Baltimore, em Los Angeles. De acordo com Manley, a moça iria visitar a irmã que se hospedava no hotel. Alguns funcionários também viram Elizabeth entrando no estabelecimento, mas nenhum deles chegou a falar com ela.

Elizabeth ficou desaparecida até a manhã do dia 15 de janeiro, quando seu corpo foi encontrado por Beth Bersinger, que passeava com sua filha num terreno baldio da Norton Avenue, em Los Angeles. Em depoimento a polícia, Beth disse que confundiu o corpo de Elizabeth com um manequim, pois estava dividido em partes – ou seja, esquartejado.

O corpo de Elizabeth Short, a famosa Dália Negra
O corpo de Elizabeth Short, a famosa Dália Negra. Foto: Reprodução

O corpo de Elizabeth estava totalmente nu, deitado de costas, com os braços levantados acima dos ombros e cortes e machucados por todo o corpo. Além disso, o assassino de Elizabeth a cortou ao meio, na altura dos quadris. Outro detalhe bizarro estava no seu rosto: um corte de orelha a orelha tentava simular um sorriso no cadáver da jovem.

A brutalidade do assassinato de Elizabeth Short chocou a cidade de Los Angeles. A mídia falou ininterruptamente sobre o caso durante anos, mas isso não colaborou para a resolução do crime. E por quê “Dália Negra”? De acordo com alguns investigadores, Elizabeth foi encontrada com uma presilha em formato de dália, na cor preta. O nome se popularizou rapidamente, ainda mais pelo lançamento do filme “Dália Azul” um ano antes do crime.

Investigação

As autoridades confirmaram que Elizabeth morreu entre os dias 9 e 15 de janeiro, depois de ser amarrada e torturada. Devido a falta de sangue no local onde encontraram o corpo, os policiais sugeriram que o criminoso deu banho no cadáver antes de posicioná-lo no terreno baldio.

O pânico se instaurou na cidade de Los Angeles, onde todos os habitantes se sentiam inseguros e aflitos. Não havia quem não se perguntasse: quem matou Elizabeth Short?

Devido à grande apelação midiática, o jornal Herald Express recebeu centenas de denúncias e dicas anônimas, por meio de cartas e telefonemas, no intuito de resolver o caso.

Uma das cartas anônimas que declararam a autoria do crime. Foto: Reprodução

No total, 59 pessoas confessaram o crime. Delas, a polícia investigou cerca de 25. Por fim, todos os suspeitos foram descartados, pois não existiam provas suficientes e que ligassem os declarantes ao crime.

Até hoje, mais de 70 anos depois, o caso permanece um mistério.

Dália Negra no cinema

Apesar de não ter realizado o sonho de ser famosa em vida, Elizabeth Short se tornou um ícone do terror norte-americano. Sua história serviu de inspiração para diversos filmes e séries.

Em 1987, James Ellroy escreveu o romance “The Black Dahlia”. 19 anos depois, em 2006, o diretor Brian de Palma produziu um longa com o mesmo nome.

A banda de death-metal  Anthrax  gravou uma música sobre o caso, enquanto a banda The Black Dahlia Murder tem o nome inspirado pelo assassinato.

Por fim, e talvez a referência mais famosa, a série American Horror Story contou a história de Dália Negra duas vezes, na primeira e na oitava temporada. A atriz Mena Suvari é a intérprete de Elizabeth Short em ambas as vezes.

elizabeth short gifs | WiffleGif
Gif/ Reprodução

 

E aí, você já conhecia o caso da Dália Negra? Conta pra gente nos comentários!

Comentários
Posts Relacionados