Os castelos mais assombrados da Inglaterra

Compartilhe

Existem relatos de aparições de fantasmas que marcaram a história da monarquia da Inglaterra em cada castelo do atual reino da Rainha Elizabeth II. Eles desfrutam de 5 castelos para a família real, porém cada um deles é assombrado por espíritos e almas penadas que ficaram presas naquelas paredes.

Castelo de Windsor

Esse é o maior castelo ainda ocupado no mundo e continua sendo usado pela realeza para eventos formais e durante os finais de semana. É o castelo mais assombrado de todo o reino e esconde 25 fantasmas diferentes, segundo relatos da própria Rainha Elizabeth II e sua irmã Margaret, e dentre eles, o mais bizarro é o do Rei Henry VIII – Acredita-se que suas aparições no castelo estão ligadas à todas as coisas ruins que causou durante seu tempo de reinado, e foram muitas. Ele foi casado com 6 mulheres e entre elas estavam Ana Bolena e Catarina Howard, ambas foram decapitadas por falsas acusações do Rei de que praticavam adultérios. Além disso, ele foi responsável pela morte de 72 mil católicos e muitas outras mortes, porque decidiu romper com o vaticano para poder se separar da primeira esposa, que não pode dar seu herdeiro tão desejado.

Quem o viu pelo castelo relata que suas aparições são sempre acompanhadas de um barulho de algo se arrastando, o que provavelmente seria sua perna cheia de úlceras que ele costumava arrastar quando ainda era vivo.

Elizabeth I

Outro espírito muito visto nas redondezas do castelo é o da Rainha Elizabeth I – A sua história “obscura” na verdade se refere a linhagem familiar da Família Tudor. Ela foi fruto do casamento de Ana Bolena com o Rei Henry VIII e além de ter tido sua mãe decapitada com apenas 2 anos, ela foi declarada ilegítima assim que Ana morreu. Elizabeth foi quem comandou o assassinato cruel da rainha Mary da Escócia. Ao chegar no trono, houveram várias tentativas de afastá-la do reinado e mesmo depois de ter sido rainha por 11 anos, o papa vigente a declarou ilegítima novamente e tirou seu cargo de rainha.

Ela já foi vista no castelo por vários reis e até por funcionários e em quase todas as aparições ela está caminhando para a biblioteca. Elizabeth passou a vida toda a beira da familia real e sendo negada por eles, mas mesmo depois da sua morte, continua presa as maldições da família Tudor.

Castelo de Holyroodhouse

Neste castelo está mais uma história de morte por traição, mas dessa vez envolve a rainha Mary da Escócia e seu marido, Lorde Darnley. Acredita-se que Mary tinha um caso com David Rizzio e quando Darnley descobriu mandou matá-lo. O assassinato aconteceu na sala de jantar do castelo bem na frente de Mary, que estava grávida, inclusive existem rumores de que o filho poderia ser de Rizzio. Mesmo depois de tantos anos da sua morte, as marcas de sangue que ficaram na sala aparecem de novo com certa frequência, mas o espírito de Rizzio nunca foi visto.

Lord Darnley, por sua vez, já foi visto vagando pelos seus antigos aposentos, afinal foi onde morreu com uma explosão que foi ordenada por Mary, como forma de vingança pela morte do seu amante.

Sandringham House

castelo

Apesar de ninguém nunca ter visto nenhum fantasma do passado sombrio da Inglaterra no local, coisas estranhas vivem acontecendo nesse castelo. Nos anos 80, o príncipe Charles, filho da Rainha, contou que viveu uma experiência assustadora quando passou alguns dias sozinho em Sandringham. Ele lidou com Poltergeists (almas desencarnadas que querem perturbar os vivos e podem mover objetos, fazer ruídos, etc)  a noite toda, com mudanças súbitas de temperatura, ponteiros de relógios que se mexem sozinhos, livros que começam a cair das prateleiras, além ruídos medonhos, objetos voando pela casa toda e luzes piscando em alguns cômodos. Dizem também que algumas pessoas já tiveram suas cobertas puxadas durante a noite, mesmo estando sozinhos.

Castelo de Balmoral

castelo

A realeza conta que muitas almas penadas rondam Balmoral, porém, segundo a rainha Elizabeth II a presença mais recorrente é a de John Brown. Ele foi um servo da Rainha Vitória, mas existem rumores de que eles eram mais que isso, já que os dois eram muito próximos no seu reinado. Dizem que sua alma ficou presa no castelo pois o bom estar da realeza era a prioridade, até depois de morto.

Palácio de Buckingham

Por último está o Castelo de Buckingham, que é da família real desde 1837, mas antes disso o local era um mosteiro e conta-se que um dos terraços é assombrado por um monge acorrentado, que possivelmente morreu preso em uma das celas do antigo mosteiro.

Além dele, o Major John Gwynne também vaga pelo castelo. Ele se matou no seu escritório com um tiro na cabeça depois de ter se divorciado da esposa e, por conta disso, ter sido muito rejeitado pela alta sociedade.

As marcas das tragédias deixadas pelo Rei Henry VIII foram tantas que as assombrações não param apenas nos castelos reais, as esposas de Henry que sofreram tanto, continuam assim mesmo depois da morte e vagam por construções que foram abertas ao público hoje em dia.

Ana Bolena

Ana foi a segunda esposa do Rei Henry VIII, ele rompeu com o vaticano e se separou da primeira esposa para se casar com ela, porém a jovem não conseguiu dar ao rei o herdeiro que ele tanto desejava e para se livrar dela e se casar com outra, ele instaurou um julgamento contra ela a acusado de praticar magia negra, adultérios, incesto e várias outras mentiras. Diante as acusações ela foi decapitada na Torre de Londres, o mesmo lugar onde celebrou sua união com o Rei. Atualmente a Torre é aberta a visitações e quem a vê, conta que ela vaga por lá carregando sua própria cabeça nas mãos e o dia em que ela mais aparece é em 19 de maio, o dia da sua decapitação.

Jane Seymour

Essa foi a terceira esposa de Henry e a única que pode dar a ele um herdeiro, Eduardo VI de Inglaterra, apesar de ter feito o rei feliz com seu menino, a mulher morreu por conta das complicações durante o parto e a alma dela vaga pelo Palácio de Hampton Court, onde morreu e ela aparece vestida de branco e com uma vela nas mãos.

Catarina Howard

Catarina foi a 5º esposa do rei e também foi executada por conta de acusações falsas do rei contra ela, mas dessa vez Henry ficou louco e tinha absoluta certeza de que Catarina estava sendo infiel, então ele a acusou e mais uma vez a decisão foi decapitar a moça. Quando ela foi presa para ser executada, Catarina gritava desesperada por misericórdia e quando visitam o local, as pessoas contam que ainda é possível ouvir seus gritos ecoando nos corredores de Hampton Court.

Comentários
Posts Relacionados