Lei de Gérson: o famoso jeitinho brasileiro

Compartilhe

Você já deve ter ouvido por aí que brasileiro gosta de levar vantagem em tudo, né? Ou então que, mesmo quando as coisas são erradas, nós damos um jeitinho para fazer com que pareçam certas? Então, conheça a Lei de Gérson! Vamos explicar o que é e como surgiu a famosa lei sobre a fama do Brasil…

Leia também: Concurso brasileiro fez com que as pessoas se beijassem por 62 dias durante a década de 1990.

Quem é Gérson?

Foto: Reprodução

Gérson de Oliveira Nunes (1941 -) é um ex-jogador de futebol brasileiro. Sua habilidade em campo e a precisão cirúrgica dos seus lançamentos fizeram dele um dos melhores meio-campistas de seu tempo e uma das estrelas do tricampeonato do Brasil.

Gérson começou a carreira nas quadras de futebol de salão e, depois, as trocou pelos gramados. A sua estreia foi na equipe do Canto do Rio, ainda menino, com 12 anos, em 1953. Ficou no clube até 1957, quando foi convidado para compor o time do Flamengo.

Em 1959, o “canhotinha” já fazia parte do elenco de profissionais do rubro-negro. No ano seguinte, foi convocado como titular da seleção brasileira nos Jogos Olímpicos de 1960. Em 1963, venceu o seu primeiro Campeonato Carioca vestindo a camisa flamenguista.

Em seguida, o então jogador foi contratado pelo Botafogo do Rio, no qual voltou a ser campeão estadual em 1967 e 1968 – quando também conquistou a Taça Brasil. Sua atuação no time o levou a sua primeiríssima Copa do Mundo, em 1966.

Foto: Reprodução

Mas foi no mundial de 1970 que Gérson viveu seu grande momento com a camisa amarela. Ao lado de grandes nomes como Pelé e Rivellino, foi líder do esquadrão que levou o Brasil à conquista do tricampeonato. E a carreira vitoriosa continuou por mais alguns anos…

No São Paulo, o meio-campista deu ao clube o fim de um jejum de 13 anos sem vitórias. Capitão do time, ele levou o tricolor à conquista do bicampeonato paulista em 1970 e 1971.

Por fim, Gérson voltou ao Rio de Janeiro, para encerrar a carreira no seu time do coração: o Fluminense. Lá, foi campeão carioca mais uma vez em 1973 e aposentaria no ano seguinte, em 1974, com 33 anos.

Como surgiu a Lei de Gérson?

A tal da Lei de Gérson tem origem em uma propaganda estrelada pelo ex-jogador em 1976. Naquele ano, o Canhotinha de Ouro foi rosto de uma campanha do cigarro Vila Rica. Nela, o boleiro conversava com um repórter.

“Você, que sempre fumou, por que Vila Rica?”, perguntava o jornalista. Depois de propagandear o produto, o meio-campista questionava: “Por que pagar mais caro se o Vila me dá tudo aquilo que eu quero de um bom cigarro?”. É aí que ele solta a célebre frase que iria marcar para sempre a sua vida: “Gosto de levar vantagem em tudo, certo?”.

A famosa propaganda foi um sucesso e fez do Vila Rica um campeão de vendas na década de 1970. Mas o que ninguém poderia imaginar era o que aquela frase se tornaria…

Retirado do contexto original, o “gosto de levar vantagem em tudo” passaria a ser utilizado como regra para definir aqueles que gostam de se aproveitar das situações, de forma antiética, e se dar bem sempre. Até hoje, a “lei” é usada de forma pejorativa.

Na época, a agência responsável pelo comercial até tentou reverter a situação. Ela desenvolveu uma nova peça publicitária com a frase: “Levar vantagem não é passar ninguém para trás, é chegar na frente”. Já era tarde demais…

E aí? Conta pra gente: você já conhecia a Lei de Gérson?

Comentários
Posts Relacionados