Por que temos déjà vu?

Compartilhe

Sabe aquela sensação de reviver uma situação que você tem certeza que nunca aconteceu anteriormente? Ou então ir a um lugar qualquer pela primeira vez e, de repente, vir o sentimento de já ter estado lá antes? Isso chama “déjà vu”. A palavra, de origem francesa, significa literalmente “já visto”.

Mas por que temos déjà vu?

O termo surgiu no século XVIII, criado pelo parapsicólogo Émile Boirac, que acreditava que o déjà vu era um flashback de encarnações passadas. Até hoje, algumas pessoas também acham que pode estar relacionado a premonições, falhas na matrix ou ainda à capacidade do espírito de sair do corpo durante a noite. Mas o que a ciência pensa sobre isso?

Embora o fenômeno desperte a curiosidade dos cientistas ao redor do mundo, ainda não há um consenso sobre como essa sensação é criada pelo nosso cérebro. No entanto, existem algumas especulações.

A primeira é a de que o nosso sistema nervoso está sempre comparando informações novas com situações que podem acontecer. O déjà vu acontece quando rola uma dessincronização entre os dois estímulos na chegada ao hipocampo, localizado no lobo temporal, do cérebro. Se, por alguma alteração na atividade entre os neurônios, a previsão se antecipa, você tem a sensação de que o que está acontecendo neste momento faz parte do seu passado.

Outra teoria acredita que a sensação esteja ligada a uma “falha” momentânea de comunicação entre o consciente e o inconsciente. Quando isso ocorre, a informação que passa do sistema consciente para o inconsciente chega com um pouco de atraso, causando essa sensação de familiaridade.

Estima-se que o déjà vu já tenha acontecido com pelo 66% da população mundial e seja mais constante entre os 15 e os 25 anos de idade. Entretanto, embora seja muito comum e possa acontecer com qualquer pessoa, a sensação é mais recorrente em quadros de epilepsia ou até mesmo esquizofrenia.

Fonte: UOL e Superinteressante

Comentários
Posts Relacionados