Quais são os novos esportes das Olimpíadas de Tóquio?

Compartilhe

As Olimpíadas de Tóquio 2020 finalmente estão chegando. A data oficial para o início do evento está marcada para a próxima sexta-feira, dia 23 de julho. E, desta vez, os Jogos Olímpicos vão trazer uma novidade: a entrada de novos esportes.

A cada edição do evento, novas modalidades podem ser acrescentadas – mesmo que apenas pela primeira e última vez. Neste ano, karatê, escalada esportiva, surfe e skate farão sua estreia nas Olimpíadas. Já o beisebol e o softbol retornam à competição depois de 13 anos.

Karatê

Foto: Divulgação/WKF

Em Tóquio, o karatê será disputado em duas categorias. São elas kata e kumite:

Kata, que em japonês significa “forma”, consiste em uma espécie de luta solo imaginária, na qual o atleta realiza uma série de movimentos de ataque e defesa coreografados. Sete juízes vão avaliar aspectos como força, equilíbrio, velocidade e ritmo e atribuir notas às performances.

Já no kumite, cuja tradução é “luta com mãos”, dois competidores vão se enfrentar durante um combate de três minutos. Os golpes acertados, como socos e chutes, valem pontos, e vence aquele que atingir primeiro uma vantagem de oito pontos. Nesta categoria, existem três classes de peso para homens e mulheres cada uma.

Serão 80 atletas competindo no karatê nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020: 60 em kumite e 20 em kata. O Brasil não classificou atletas para essa modalidade.

Surfe

Foto: Kelly Cestarii/WSL

As competições de surfe vão ser realizadas na praia de Tsurigasaki, a cerca de 100 km do Estádio Olímpico de Tóquio. As provas serão disputadas em formato de baterias, cada uma com 30 minutos de duração e com quatro a cinco atletas disputando as ondas simultaneamente.

Os competidores tentarão pegar o máximo de ondas que puderem, mas apenas suas duas ondas de maior pontuação serão contadas. Os jurados vão avaliar critérios como dificuldade, inovação, velocidade, potência e fluxo.

O primeiro e o segundo colocados vão direto para a próxima fase, enquanto o terceiro e o quarto participam de uma repescagem. Os dois melhores de cada chave avançam para as quartas de final, até que a disputa seja de um contra um para definir os medalhistas.

No surfe, serão 20 homens e 20 mulheres competindo. O Brasil contará quatro atletas na disputa: Silvana Lima, Tatiana Weston-Webb, Gabriel Medina e Italo Ferreira.

Escalada esportiva

Foto: Feng Li/Getty Images

Nas Olimpíadas, todos os atletas da escalada esportiva competirão nas três disciplinas da modalidade: speed, boulder e lead. A classificação será feita pela média geral da nota obtida em cada uma delas.

Na prova de speed (velocidade), dois competidores escalam lado a lado uma parede de 15 metros de altura em percursos idênticos. O primeiro a chegar ao topo vence.

Já no bouldering, os escaladores percorrem todas as rotas fixas possíveis em quatro minutos, em uma parede de 4,5 metros de altura. O caminho apresenta uma série de desafios, e os percursos variam de dificuldade. Os concorrentes enfrentam a parede sem cordas de segurança e podem ter um nova chance, caso caiam durante a tentativa inicial.

Por último, o lead consiste em escalar o mais alto possível uma parede medindo mais de 15 metros de altura em seis minutos. Se um atleta cai, a altura alcançada é registrada e não há novas subidas. Se dois ou mais esportistas completarem a escalada ou atingirem exatamente a mesma altura, o mais rápido a fazê-lo é declarado o vencedor.

Serão 40 escaladores em Tóquio 2020, sendo 20 homens e 20 mulheres. O Brasil não terá representantes nesse esporte.

Skate

Foto: Julio Detefon/Divulgação

Nos Jogos Olímpicos Tóquio 2020, haverá competições em duas categorias de skate: park e street. Ambas serão separadas entre atletas masculinos e femininos, e as provas serão realizadas de maneira individual.

O park é disputado em uma pista com paredes côncavas, com uma curva. Já o street consiste em um circuito com obstáculos como escadas, rampas e corrimões.

Nas duas, os competidores serão avaliados levando em conta velocidade, dificuldade das manobras, originalidade, estabilidade e outros critérios. Serão 80 atletas, e os oito melhores classificados vão à final.

O Brasil terá 12 representantes: Dora Varella (park), Isadora Pacheco (park), Letícia Bufoni (street), Pâmela Rosa (street), Rayssa Leal (street), Yndiara Asp (park), Felipe Gustavo (street), Giovanni Vianna (street), Kelvin Hoefler (street), Luiz Francisco (park), Pedro Barros (park) e Pedro Quintas (park).

Beisebol/Softbol

Foto: Getty Images

O beisebol e o softbol voltam ao programa olímpico depois de dois ciclos fora dos Jogos. A última vez que as duas modalidades fizeram parte das Olimpíadas foi em Pequim, em 2008.

Os dois esportes são bastante parecidos. É como se o softbol fosse uma versão mais leve do beisebol. A proposta consiste, sobretudo, em acertar a bola arremessada, percorrer todas bases para chegar ao home plate e marcar um ponto.

As principais diferenças entre eles, no entanto, estão nas dimensões da bola e do campo e no tempo de jogo. O beisebol também é praticado por homens, enquanto o softball, por mulheres.

Nas Olimpíadas de Tóquio 2020, haverá seis times em cada esporte. Ambos começarão com um formato de grupos. Depois, o beisebol avança para eliminatórias, e o softball vai direto para as disputas de medalha. O Brasil não terá equipes nessas modalidades.

Fonte: BBC e UOL

E aí? Está ansioso(a) para a estreia dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020? Qual esporte tem seu coração? Conta pra gente pelos comentários!

 

Comentários
Posts Relacionados